O SABOR DO SABER PORTUGUÊS

A si, quero levá-lo à descoberta da riqueza gastronómica portuguesa. Desta abundância pode constatar que, tal como a nossa população, também o nosso património gastronómico é rico e diverso em sabores e origens. Procurar sabores típicos no nosso país não é complicado. Basta viajar por caminhos secundários, subir serras ou varrer os centros urbanos. Ainda temos tradições, segredos que passam entre gerações, hábitos de convívio que perduram no tempo.

A gastronomia é o engenho de cozinhar, de modo a proporcionar o maior prazer aos que comem.

O Sabor implica saber e saber implica fazer, juntar memórias e convicções, tradições e inovação. É com essa base que quero despertar os seus sentidos, proporcionar-lhe conforto e prazer. Uma experiência única num acto simples, como comer!

TARTE DE MASSA AREADA COM COMPOTA DE FRUTOS VERMELHOS

PARA A MASSA
  • 500gr farinha
  • 250gr de manteiga
  • 125gr de açúcar
  • 3 ovos
  • Q.b Raspa de Limão
  • Q.b. Sal
Para a compota
  • 50gr de Framboesas
  • 50gr de Groselhas
  • 50gr de Mirtilos
  • 50gr de Morangos
  • Q.b. Vinho do Porto
  • Q.b. Mel
  • 1 Pau de canela
  • Q.b. Açúcar
RECEITA

Junte a farinha, a manteiga, os ovos, o açúcar e a raspa de limão e amasse tudo, mas não em demasia para a massa ficar areada. Enrole em película aderente e deixe repousar no frigorífico pelo menos 15 minutos. Num tacho, adicionar os frutos inteiros e os morangos cortados em metades, juntar a mesma quantidade de açúcar que de fruta, o vinho do Porto e um pau de canela. Quando começar a ferver, baixar o lume. Deixar cozinhar durante 1h a 1h30m. Retirar o pau de canela e triturar o preparado num robot de cozinha. Estique a massa com o rolo e coloque-a numa tarteira. Com um garfo, fazer alguns furos na base para evitar que a massa cresça, cobrir com papel vegetal e grão de bico seco. Levar ao forno durante 20 minutos a 180 graus. Quando a massa estiver cozinhada, rechear a tarte com a compota de frutos vermelhos e guarnecer com alguns frutos inteiros por cima ou raspas de chocolate branco.

TORTILHA DA CHEFE MARLENE

INGREDIENTES
  • 8 Ovos
  • Batatas
  • Cebolas
  • 1 Dente de alho
  • Q.b. Louro
  • Q.b. Azeite
  • Q.b. Sal
  • Q.b. Pimenta
  • 1 ramo de tomilho
RECEITA

Num tacho com água e sal cozer as batatas com casca. Deixar levantar fervura e de seguida baixar o lume. Faça uma cebolada, juntando numa frigideira, um pouco de azeite, a cebola cortada em meia-lua, uma folha de louro e só depois 1 dente de alho picado. Temperar com sal. Quando as batatas estiverem cozidas, retirar do lume, tirar a pele e cortar em camponesa. Adicionar à cebolada e temperar com pimenta. Numa taça, bater 8 ovos. Colocar a batata e a cebola numa tigela, e adicionar os ovos. Envolver tudo. Colocar o preparado numa frigideira pequena, e quando a tortilla começar a ficar cozinhada, virar. Deve ficar cozinhada por fora e cremosa por dentro. Empratar e decorar com folhas de tomilho.

PEIXINHOS DA HORTA E DO MAR

INGREDIENTES
  • 100 gr feijão verde
  • 1 molho de manjericão
  • 8 camarões
  • 2 tentáculos de polvo, pré-cozinhados
  • 150 gr lombo de bacalhau
  • 1 l de óleo
Tempura
  • 150 gr farinha
  • 150 gr farinha Maizena
  • 1 colher de chá de fermento Royal
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de sal fino
  • 250 ml de água com gás bem fria
RECEITA

Prepare os vários ingredientes que vão passar pela tempura. Retirar as pontas ao feijão verde e corte-o em tiras, separe as folhas de manjericão, descasque o camarão e tempere-lo com sal. Por fim corte o bacalhau e os tentáculos do polvo em tiras. Para a tempura junte numa taça todos os ingredientes e no fim adicione a água bem fria. De seguida, passar um a um os legumes, os camarões, os pedaços de bacalhau e polvo por esta tempura, e fritar em óleo abundante a 180º C. Retirar do óleo assim que estiverem dourados e secar em papel absorvente.

SALSICHAS DE PORCO PRETO COM LEGUMES

INGREDIENTES
  • 180gr de carne de porco preto (da pá)
  • 1 Chouriço de porco preto
  • Q.b. Toucinho de porco preto
  • Q.b. Tripa fresca de porco
  • 2 Batatas
  • 1 Courgette
  • 1 Nabo
  • 3 Cenouras
  • 2 Pacotes de natas
  • Q.b. Pimentão doce ou paprika
  • Q.b. Alho em pó
  • Q.b. Ervas em pó
  • Q.b. Cominhos
  • Q.b. Queijo parmesão ralado
  • Q.b. Sal
  • Q.b. Azeite
RECEITA

Comece por lavar bem as tripas com água abundante e sal e deixá-las de molho até usar. Corte a carne, o toucinho e o chouriço em pequenos cubos. Deve ter em atenção para que a quantidade de chouriço não seja superior à da carne. Triturar tudo na picadora. De seguida temperar a carne com alho, uma colher de sopa de pimentão doce, uma pitada de cominhos e sal a gosto. Colocar a tripa no funil, com um pouco de água e cuidadosamente ir recheando. Após criar as salsichas deve cozinha-las individualmente durante 7 a 8 minutos em água com sal. Atenção que a água não deve ferver nem ultrapassar os 90º C Após este processo, retirar a casca e cortar os legumes grosseiramente. Colocar no forno as batatas cobertas com papel vegetal, durante 20 minutos a 160º C. Retirar o papel, aumentar a temperatura para os 180 º e deixar cozinhar mais 20 minutos. Numa frigideira juntar as natas, o alho esmagado, louro, pimenta, sal e queijo parmesão. Deixar a mistura reduzir. Colocar as batatas e os vegetais num pirex e cobrir com a mistura de natas, cobrir com papel vegetal e levar ao forno até gratinar. Finalizar as salsichas na grelha com um fio de azeite, para que ganhem uma crosta dourada. Empratar os legumes, as salsichas e finalizar com um raminho de alecrim, para dar aroma.

CARNE

Seja qual for a peça de carne, retire-a do frigorifico e deixe-a repousar uma hora à temperatura ambiente. Desta forma vai manter todo o sabor!

MAIONESE

Se a maionese talhar, inicie o processo outra vez. Retire a maionese talhada do copo, coloque um ovo, um pouco mais de sal e vinagre e vá acrescentando a maionese talhada aos poucos. Ela voltará à consistência desejada e você não desperdiçará nada.

MOLHOS

À medida que se cozinha um molho, este vai-se reduzindo, tornando-se por isso mais salgado. Quando colocar o sal pode-lhe saber bem, mas no fim deverá estar salgado. A solução é simples: tempere o molho apenas quando este estiver pronto – e só se precisar!

SUMO DE LIMÃO

Para que seja mais fácil extrair o sumo de um limão, pode batê-lo na bancada da cozinha sem o rebentar ou aquecê-lo no micro-ondas por 15 segundos. Verá como o limão rende muito mais sumo!

ARROZ

Arroz. Malandrinho, solto, cremoso! O arroz é a base da alimentação e uma das importantes fonte energética, de mais de metade da população mundial. Os seus nutrientes tornam-no um alimento indicado para alimentar, até os mais debilitados e é recomendado para os mais diversos fins, como curas de desintoxicação, dietas, doenças gastrointestinais, sedentariedade ou ainda estados depressivos. É geralmente consumido após o seu branqueamento, processo que consiste na extração por meios mecânicos, da casca e pelicula, perdendo grande parte do seu valor nutritivo, minerais e vitaminas.

Em Portugal estima-se que sejam cultivados cerca de 30.000 hectares de arroz, repartidos maioritariamente pelos Vales do Mondego, do Tejo e Sorraia, do Sado e ainda por regadios privados, no sul do país. É classificado comercialmente entre três tipos diferentes: grão curto ou redondo, grão médio e grão longo onde se inserem o Agulha e o Carolino. O primeiro grão é rico em amido e tende a colar durante a cozedura, tornando-o cremoso, indispensável para risottos e sobremesas. Os de grão longo são mais pobres em amido e ideiais para o arroz solto.

Já agora, sabe que nós temos o maior consumo per capita de arroz? São cerca de 17 kg/ano. Apesar de este valor ser um décimo da média asiática, ultrapassa amplamente o consumo em outros países europeus. Até há pouco tempo estávamos praticamente reduzido às variedades carolino e agulha, mas felizmente já é possível ter acesso a muito mais tipos de arroz, como é o caso do basmati, do thai, do glutinoso (para o sushi) e de as 3 variedades especiais para risotto.

Agora que sabe algo mais sobre este cereal, que tal um arroz doce?

COGUMELOS

Os cogumelos são tão misteriosos quanto são deliciosos. Embora confundidos e preparados como legumes, estes são na realidade fungos, um tipo de organismo vivo que não tem raízes, folhas, flores ou sementes. Embora possam ser cultivados, os cogumelos crescem de forma selvagem em muitas regiões do mundo.
Existem bastantes variedades de cogumelos tais como os cogumelos paris, os cogumelos crimini, os portobelo ou os pleurotos. O cogumelo crimini parece um botão e adquire um tom de café e possui um sabor mais distinto. O cogumelo portobelo, grande em tamanho e saboroso como a carne, pode ser uma singular entrada vegetariana e é, na verdade, um cogumelo crimini em esteroides.
Muitos dos cogumelos crescem para a luz, seguindo o sol tal como planta. Eu sigo-os a eles, nas suas diversas formas e feitios, recheados ou num maravilhoso risotto!

POLVO

Atualmente, o polvo atingiu um patamar de elevado interesse a nível internacional, pela sua utilização na dieta dos povos, o que aumentou gradualmente a sua importância económica. Apesar de ser a 4ª espécie mais capturada em Portugal, o polvo é a que maior valor económico gera. Dizem os entendidos que a espécie algarvia é a mais distinta pois alimenta-se de marisco e peixes pequenos, o que lhe dá características únicas. Habitam num mar limpo e abastado em comida, não se esforça muito para obter o que precisa e resulta num animal pesado, saboroso e com tentáculos gordos, óptimos para a nossa salada de Polvo!

OVOS

A natureza desenhou os ovos como a fonte de alimento para o desenvolvimento de galinhas. Os ovos e em particular os de galinha, são excelentes para o consumo humano devido ao seu alto teor de proteína, ao baixo custo e à disponibilidade. Extremamente úteis, são usados em toda a cozinha servidos como um prato principal ou como ingrediente de uma refeição preparada. Os ovos fornecem textura, sabor, estrutura e humidade em tudo, desde sopas a molhos, a pães ou até pastelaria.
De todos os nossos alimentos o ovo é talvez o mais versátil, e sem dúvida, um dos mais nutritivos. Usado como ingrediente, os ovos são apreciados por sua habilidade em ligar, clarear, emulsionar e enriquecer. Cozidos e comidos só por si os ovos oferecem-se a dezenas de preparações. As gemas e as claras têm propriedades precisas e são usadas separadamente para conseguir resultados diferentes.
Para os portugueses, os ovos estão por toda a parte na cozinha e especialmente nos doces. Nós somos provavelmente os maiores amantes do ovo no mundo. Ou será o oposto? Não importa porque esta relação leva-nos muito além da nossa imaginação em relação às centenas ou devemos dizer milhares de receitas extraordinários com ovos.